capa

capa

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Esputo

Angustia. No canto úmido da boca parou o beijo:
Áspero, seco, singelo, apetecido.
Minha língua procurava tua cavidade bocal quente... Salivante nas vontades do ser... Solvente.
Nas ranhuras dos lábios ficaram o gosto atritante do desejo.
Ficou a fricção de quase nenhuma carne frigida.
Carne inerte, ansiosa por maior proximidade corpórea, confusa, amorfa.
Onde não se desmistifiquem os tecidos nem glândulas salivares de ninguém.
Onde só haja o agora, este instante onipotente travado e suspenso no canto.

Na ranhura do meu consciente parou a realidade, era obliqua, era pobre em vaidades.
E eu deslizei na suavidade dos versos, coadunando alucinações e a mortalidade existencial na complexidade da tua concupiscência.
A alma se desprendeu do corpo já sem vida,
A derme excitada delira na luxuria da tua boca.
Minha capacidade gustativa saliva por fluxos sexuais intensos,
Interrompidos pela beirada mal calculada, pelo olho cerrado antes do instante do beijo.
Foram segundos eternos de infinito.

Beijo, sim a palavra é doce.
Saliva pelos veios da arcada relutante e aflita.
Afiado vocábulo que teima em morder tua carne.
São só babugens dos sonhos, eu tenho fome, a minha fome deseja a fome de tudo,
A canalhice devoradora dos amores carnais.
Minha fome carniceira rosna pelos tecidos dos teus ossos,
Porções gustativas de prazer que cobiçam o infindo.
Angustia. No canto agora seco da boca eu expungi em volição,
Mordi o lábio arrepiei a nuca,
Enxuguei a boca.

12 comentários:

Anônimo disse...

romantico esse em
meio safado rsrs
mas gostei parabéns

Rafael Rodrigo disse...

opa! fiz pra uma boca que pensei em teimar kkk
brigado anônino

Anônimo disse...

como sempre você nunca fala o nome da pessoa né?
curiosa!!!

Rafael Rodrigo disse...

nunca revelo as fontes, vai ver depois me processam kkk

Anônimo disse...

tá certo então
mas esse poema é meio diferente né?

Rafael Rodrigo disse...

é, ele é brega né?
meio sem fluidez sei lá!
mas é fofinho kkkk

Rafael Rodrigo disse...

e a dona do poea também é uma fofinha kkkkk ops!!! (não de gorda lógico)

Anônimo disse...

bom, um dia espero que você faça um pra mim. tambem quero um poema.
beijo lindo

Rafael Rodrigo disse...

xiiii, nem sei quem é você, fica dificil em doida
como diz joão do morro: quem é você? kkk

Anônimo disse...

um dia falo meu amor

Rafael Rodrigo disse...

ah! então só lamento pra vc

shadlla disse...

Poema lindo e encantador...
Boca que pensou Teimar?
Seus pensamentos ñ condizem com a realidade...
Mas isso vc já sabe né?!
rsrs